Ninguém vive de banquetes fantásticos de segunda a segunda não é?!

E no dia que o jantar for um belo sanduíche ou um hot dog, dá pra tomar vinho? Claro que dá!

Já tentei cortes espanhóis, chardonnays de Novo Mundo, mas a última experiência foi bem bacana e resolvi contar para vocês.

Levando em consideração que o molho de cachorro quente nada mais é do que uma base de tomates leve, resolvi tentar um italiano bem frutado, também de corpo leve, que não brigasse nem se apagasse com o sabor da salsicha e dos condimentos.

Minha opção foi o Caldora, um montepulciano D’Abruzzo importado pela Casa Flora e que encontrei na Século em Londrina.

Bem macio, com nariz elegante e um toque terroso que se valorizou em contato com a mostarda adicionada ao sanduíche.

Custa em torno de R$68,00 e vai muito bem também com uma massa ao sugo ou com pizzas.

Outra super opção para o cachorro quente é um Beaujolais. Aliás, essa harmonização foi até mencionada no filme Somm 2 e já testada e aprovada por aqui também, rs.

Ah! E só pra não esquecer: na dúvida, vá de espumantes! Um champagne, um bom lambrusco ou um nacional elaborado pelo método tradicional.

Logo eu conto meus testes de harmonização com hambúrguer de fraldinha caseiro.

Até a próxima taça, Keli Bergamo