Espumantes. Método Ancestral. Você conhece?

Posted on Posted in Espumantes, Vinhos por Keli Bergamo

Estamos mais habituados aos espumantes elaborados pelo método tradicional (champenoise) ou charmat, mas você sabia que – como o próprio nome já diz – o método ancestral foi o que provável e acidentalmente originou os espumantes?

O método ancestral consiste em engarrafar o mosto ainda não totalmente fermentado.

 

trebianno-ancestral-de-alejandro-cardozo

Trebianno Ancestral de Alejandro Cardozo
Com isso, e respeitadas determinadas condições de temperatura, a fermentação prosseguirá na garrafa até a total transformação dos açúcares em álcool, e conseqüentemente, o aprisionamento do gás carbônico.

Neste método não há adição de açúcar e leveduras, não há adição de licor de expedição (dosagem de açúcar) e nem dégorgement (expulsão dos sedimentos). É o método utilizado originalmente para o Blanquette de Limoux, espumante da região do Languedoc.

Esse processo potencializa mais os aromas, sabores e também deixa o espumante mais robusto, com perlage mais denso e vivo.

 

3
Pinot Noir Ancestral de Vilmar Bettu em parceria com Daniel Lopes

No Brasil estamos começando a redescobrir essa técnica e provei alguns bons exemplares como o rosé de Pinot Noir do Vilmar Bettu  e o elaborado com a uva Trebianno pelo enólogo Alejandro Cardozo e que ainda está em fase de testes para lançamento.
É ou não de dar água na boca?Você ja acessou a fan page do blog? Curta no Facebook, lá tem um vídeozinho mostrando como essas borbulhas do ancestral são poderosas. Siga também pelo Instagram: @kelibergamo

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *