Atire a primeira pedra quem nunca tomou um vinho Reservado na vida.

Ops.. Você ainda toma? Então melhor saber o que significa e tentar buscar outras alternativas que possam lhe trazer maior satisfação e qualidade.

Bem, o termo Reservado é utilizado por algumas vinícolas chilenas exclusivamente para mercados estrangeiros (o maior deles é o nosso, mas também é muito vendido nos Estados Unidos e Inglaterra) e não pressupõe exclusividade ou qualidade como muitos imaginam.

Refere-se a vinhos de entrada e sem barrica. Os aromas e sabores de madeira vem de adições por sachês ou outros métodos, mas não de estágio nas mesmas, posto que os vinhos sob tal nomenclatura são considerados os mais econômicos do mercado. Alguns sequer trazem indicações de safra, pois são uma mistura de tudo que sobrou…. O Reservado, aqui, é apenas uma estratégia de venda, um jeitinho bonito de nominar vinhos de não muita qualidade.

Para se ter noção, eles sequer constam dos sites das vinícolas chilenas…. Infelizmente esses vinhos estão em peso em nossos supermercados e adegas e, pelo preço mais baixo, são a porta de entrada para consumidores que estão iniciando nos vinhos e podem trazer uma má impressão, afastando os mesmos.

Mas Keli, é possível achar bons vinhos e a bons preços em supermercados?

Claro que sim! Já indiquei alguns por aqui, é só dar uma olhadinha nas colunas anteriores e em nossas redes sociais.

Para entender um pouco a classificação, vejam a imagem super didática do @vemdauva .

Não deixe que uma experiência ruim com esse tipo de vinho lhe impeça de provar bons rótulos a bons preços. O mundo do vinho tem muito a ser descoberto.

 

 

Obs. Texto originalmente publicado no Arquitetando Estilos