Não dá para virar as costas ao crescimento da Semillon (fala-se sem-ee-yawn) pelo mundo, especialmente no Chile, onde vem nos apresentando rótulos deliciosamente interessantes (lembram do espumante ds @schwadererwines que já postei por aqui?).

Bem, a Semillon é natural de Bordeaux e mais conhecida por compor o corte dos clássicos e maravilhosos Sauternes e também por figurar em alguns vinhos tranquilos bordaleses.

Tem sido encarada como uma alternativa a Chardonnay (assim como ela, responde muito bem a madeira – neste vinho fermentou e estagiou por 12 meses), mas também traz alguns toques frescos que remetem a uvas com toques herbais como Sauvignon e Pinot Gris, o que a torna uma ótima parceira da gastronomia.

O Granito é elaborado com uvas provenientes de vinhedos da década de 40 plantados sob solo granítico (ah vá) e tem uma elegância surpreendente. Daqueles vinhos fáceis de se tomar sozinhos e que crescem quando harmonizados (não é à toa que foi um dos queridinhos de nossa aula na última quinta).

Custa R$231,00 na @worldwine e tem na @winebubblescelebrate .

Até a próxima taça, Keli Bergamo