Mutação da Savagnin Rosé, teve seus primeiros registros em 1827 na Alemanha, mas tem como lugar de destaque a Alsácia (e quem estudou história e vinho sabe o quanto esse toma lá da cá acabou mesclando a cultura alsaciana entre França e Alemanha), onde produz vinhos incríveis – especialmente os Vendanges Tardives.
É aromática (com inconfundível perfume floral), tem um bom volume de boca e tem ótimos exemplares no Brasil com preço acessível.
Com sua casca que ganha tons rosados na maturação, origina um vinho dourado e intenso do começo ao final.
Fica ainda mais vibrante com pratos condimentados e étnicos. Vinhos mais maduros acompanham muito bem bacalhau também.
O da foto (e um dos que não faltam em minha adega) é esse da Angheben Vinhos Finos , uma das primeiras vinícolas a explorar a casta no Brasil em parceria com produtores da Serra do Sudeste, no RS.
Da mesma região também vale provar o da Casa Valduga e da Campanha o espumante rosé de Pinot Noir com Gewurz da Guatambu.
Até a próxima taça, Keli Bergamo