Que belezinha de vinho! Leve, frutado, suculento.
Elaborado por maceração carbônica pela @vinicolaluizargenta , é perfeito para bebericar sem cerimônia ou para acompanhar aperitivos e pratos leves.

Pô, Keli! Mas a Shiraz é potente pra caramba!

Sim, mas o processo de elaboração deixa seu perfil bem mais delicado.

Macerar significa deixar as cascas em contato com o suco para “tingi-la e também extrair taninos das mesmas.

Na maceração carbônica os bagos não são esmagados e a maceração ocorre num ambiente quase anaeróbico (sem oxigênio) sob uma atmosfera saturada de gás carbônico. A fermentação é conhecida como intracelular, já que se produz no interior da própria uva.

Como isso é feito? Se coloca a uva inteira no interior de um tanque saturado de gás carbônico (e zero de O2, obviamente). Com o peso das próprias uvas, as de baixo são esmagadas, liberam sucos e começam a fermentar (gerando mais CO2). Esse processo dura em média uma semana e aí as uvas são prensadas e levadas a um recipiente para fermentação alcoólica.

Por consequências normais desse processo fermentativo, os vinhos costumam ter aromas de flores, tuti fruti e banana, além de pouca intensidade de cor e de taninos.

Ah! São vinhos para serem consumidos em poucos meses.

Aqui em Londrina você encontra os vinhos da Luiz Argenta na @vyno.brasil , que entrega em casa.

Até a próxima taça, Keli Bergamo