Quem está acostumado com a acidez e fagulhada dos vinhos verdes vai se surpreender com esse rótulo, que preserva esse frescor da Alvarinho mas com um pouco mais de untuosidade e elegância proveniente dos 4 meses de amadurecimento sobre lias finas (pequenas borras que o próprio vinho deposita no fundo do tanque quando está em repouso) e, claro, das mãos de Anselmo Mendes, tradicional produtor apaixonado pelos vinhos verdes.

Às cegas com um Albarino de Rias Baixas causou certa confusão, exatamente por essa cremosidade maior.

Amarelo claro, com perfumes florais bem vivos e pêra e boa persistência.

Acompanhou muito bem uma moqueca de badejo.

É importado pela Decanter.