Por que não??

Nós brasileiros achamos que o vinho tem que ser consumido com sofisticação, pratos de origem europeia, em torno de uma mesa instagramável e com toda pompa e circunstância.

Faz sentido isso? Faz! O vinho merece um lugar na sua mesa e mais ainda fazer parte de momentos especiais.

Precisa ser sempre assim: NÃO!

Eu adoro os rituais do vinho. Aliás, alguns são de extrema importância para se beber bem: boas taças, temperatura correta… Mas longe de mim impor um momento para o vinho condicionado a excessos de formalidades!

Nesse momento maluco que vivemos muita gente continua em casa, evitando as saidinhas, evitando deliveries e tendo uma alimentação mais rotineira. Por isso devem abrir mão do vinho? De forma alguma!!

Já que não vai pegar carro depois do almoço, já que as famílias que estão em casa podem dividir uma garrafa em algumas refeições e já que podemos sim nos permitir viver pequenos prazeres quando já estamos proibidos de tanto, que tal colocar o vinho no seu hábito diário?

 

Precisa ser caro? Lógico que não!! Busque vinhos que caibam no bolso, que tenham qualidade e simplicidade. Que você possa comprar no mercado em que já sai para suas compras basilares.

Precisa pensar no cardápio? Não! O legal é curtir o vinho sem se importar demais com a harmonização, só porque ele pode ser um hábito saudável e uma escolha inteligente (ao invés de abrir um refrigerante, por exemplo).

Massas com molhinhos leves, peixes, peito de frango…. Chardonnay é o cara! Um bom branquinho com volume de boca será um excelente companheiro. Minha dica é esse da vinícola catarinense  Abreu&Garcia,  que você pode adquirir no site deles ou em Curitiba na KOS Vinhos Especiais.

A pedida é uma carne de panela, um bife magro com arroz e feijão? Que tal um Montepulciano ou um Sangiovese? Eu provei esse Montepulciano D’Abruzzo da Fantini importado pela World Wine e adorei. Tem muitas outras opções nos mercados e lojas especializadas. Também ficam ótimos com bruschettas.

Galinhada, Pizza, Carne Assada… Eu curto muito Bonarda, uva muito produzida na Argentina e que costuma ter preço bem bacana. Minha indicação é o El Mendocino, a venda aqui:

E não se esqueça: num momento como esse, toda hora é hora de celebrar (com segurança).

Até a próxima taça, Keli Bergamo

 

PS. Texto originarialmente publicado no Arquitetando Estilos.