11/11 – Dia de São Martinho.

Hoje é dia de São Martinho, dia da “abertura das talhas” e momento mais alto na milenar relação entre o Alentejo e o vinho de talha.

A tradição da talha no Alentejo foi trazida pelos romanos há mais de dois mil anos, nunca se perdeu e hoje se espalha por varias regiões produtoras do mundo.

Poucas mudanças ocorreram nesse período de dois mil anos. Em traços gerais, as uvas previamente esmagadas são colocadas dentro das talhas de barro e a fermentação ocorre espontaneamente.

Durante a fermentação, as películas de uvas que sobem à superfície e formam uma capa sólida são mexidas com um rodo de madeira e obrigadas a mergulhar no mosto, para assim transmitir ao vinho mais cor, aromas e sabores.

Terminada a fermentação, essas massas assentam no fundo.

Na parede da talha, perto da base, existe um orifício onde se coloca uma torneira. O vinho atravessa o filtro formado pelas massas de uvas e sai puro e límpido para o exterior. É um processo simples e natural, tanto quanto o vinho que dele resulta.

Tradicionalmente, depois do 11 de Novembro, o vinho estava pronto para ser consumido.

Seguindo os processos mais clássicos ou adotando alguma modernização, o vinho de talha mantém-se como um produto único, sublime representante da milenar cultura do vinho no Alentejo.

Até a próxima taça, Keli Bergamo