Otronia – Patagônia Extrema

por Keli Bergamo

Essa semana participei do lançamento dos vinhos da Otronia a convite da World Wine.
Degustação em casa (como os tempos requererem) e a oportunidade de conversar e aprender com os enólogos responsáveis pelo projeto: Alberto Antonini (que com sua experiência e pensamento lógico torna tudo possível) e Juan Pablo Mugia, além de Maximo Rocca, que cuida do mercado brasileiro.


Otronia é um projeto com a tarimba Bulgheroni e nasceu há alguns anos pela ideia de produzir vinhos na zona mais austral possível para cultivo de vinhedos do planeta: o sul da Patagônia.


A vinicola está localizada na sub região de Chibut, na latitude 45 sul. Pra se ter noção, estamos falando de 1200 km abaixo de Mendoza.


Distante e muito frio. Antonini ressaltou que ao chegar ao local (próximo ao lago Musters, antes chamado Otron e daí o nome da vinícola) encontrou solo calcário, ambiente selvagem e a possibilidade de fazer vinhos únicos.

Optaram por Chardonnay e Pinot Noir sem saber o que esperar (se não fosse possível elaborar vinhos, fariam espumantes). Juan Pablo ressaltou que a temperatura é a condição mais preocupante.

Os picos e o alto risco de geada pedem atenção e por isso a técnica de aspersão, com congelamento preventivo é utilizada.

Os ventos, que beiram 100 km/h, obrigam as uvas (protegidas previamente por telas) a engrossar suas peles e isso também dá esse caráter único aos vinhos de Otronia.


Este lugar tão inóspito chama atenção. Não é à toa que Antonini disse que, daqui a algum tempo, não quer que falem sobre castas , mas sobre os vinhos de Otronia como um reflexo de Chibut.


A produção é orgânica (o local permite isso naturalmente) e a vinificação também muito natural. Madeira apenas em grandes recipientes, permitindo oxigenação mas sem interferência nesse caráter único que se persegue.


São 4 os vinhos disponíveis no Brasil:

Rugientes 45 (Gewurztraminer, Pinot Gris e Chardonnay):

https://www.worldwine.com.br/v-ar-otronia-bco-45-rugientes-cortes-bcas-17-750-025314/p

Rugientes 45 (corte de PN de vários blocos de Vinhedos):

https://www.worldwine.com.br/v-ar-otronia-tt-45-rugientes-p-noir-17-750-025315/p

Otronia Block III & VI (Chardonnay dos melhores vinhedos):

https://www.worldwine.com.br/v-ar-otronia-bco-otronia-chard-17-750-025316/p

Otronia I (Pinot Noir do melhor vinhedo da casta):

https://www.worldwine.com.br/v-ar-otronia-tt-otronia-p-noir-17-750-025318/p

Vinhos de elegância e delicadeza e que depois conto um a um pra vocês.

Há também Merlot e outras castas em cultivo e que em breve serão vinificados.

Ao serem perguntados sobre Ice Wine, informaram que as condições de extremos de temperaturas acabam derretendo o gelo, mas há um colheita tardia em desenvolvimento.

Para Antonini, projetos assim, sem “cartilhas prontas”, permitem ao retorno do que se fazia antigamente: observar!

Até a próxima taça, Keli Bergamo

Deixe um comentário

Posts relacionados